Empresário Eike Batista tem prisão decretada na Operação Lava Jato

26 jan 2017

A Operação Lava Jato retomou suas atividades nesta quinta-feira 26, prendendo um peixe grande: o empresário Eike Batista, que já foi o mais rico do Brasil e o oitavo mais rico do mundo; batizada de Eficiência, a nova fase também tem novos mandados contra o ex-governador Sergio Cabral, do PMDB, e vários de seus secretários; Eike não estava em casa quando a polícia chegou, mas vai se entregar, segundo seus advogados; já foi preso Flávio Godinho, vice-presidente de futebol do Flamengo, acusado de ser um dos operadores do esquema, através da ocultação e lavagem de dinheiro das propinas que eram recolhidas das empreiteiras que faziam obras públicas no Rio de Janeiro; em depoimento recente à PF, Eike havia tentado ser delator.

A Polícia Federal (PF) deflagrou hoje (26) a Operação Eficiência, que cumpre seis mandados de prisão preventiva, quatro de condução coercitiva e 22 buscas e apreensão no Rio de Janeiro. O empresário Eike Batista, dono do grupo EBX, é um dos alvos do mandado de prisão, mas ainda não foi localizado.

A Operação Eficiência é uma nova fase da Lava Jato. A Polícia Federal informou que ainda não pode dar detalhes porque os mandados estão sendo cumpridos neste momento.

As pessoas que são alvo de condução coercitiva serão levadas para a Polícia Federal no Rio de Janeiro. Esta é a primeira fase da Lava Jato este ano.