O elefante branco do cerrado: Parque Tecnológico Capital Digital

12 set 2017

Se você é da área de TI, já ouviu falar sobre o tema Parque Tecnológico Digital (PTCD). Há anos ouvimos falar sobre o assunto, que parece um nó que não quer desatar. Ele tornou-se “o elefante branco do cerrado”. Governo entra, governo sai e todos prometem que o projeto vai sair do papel. Porém, como uma lenda, que se ouve falar e não se vê, assim ele é!

A diretriz do GDF que formaliza a estrutura das instalações, está assinada desde 2002 e até o presente momento, apenas a Caixa Econômica e o Banco do Brasil se estabeleceram no local. Porém, o que nós – comunidade de TI do DF – devemos esperar quanto ao Parque? Não se sabe. E ainda há várias perguntas sobre o tema.

As questões mais comuns são:

  • O que o empresário ganha tirando sua empresa de onde está atualmente e levando-a para um local diferente? Há algum incentivo para isso?
  • Existe algum diferencial para as pequenas e micro-empresas?
  • Há transporte público para os profissionais irem até o local?
  • Há algum documento oficial e público do GDF que diga exatamente como funcionará o parque?
  • Quem está responsável por cada atividade do parque?
  • Será que algum dia ele vai sair do papel?

Questões Políticas

Em termos políticos, há 2 (dois) entraves nesse Parque:
1) Nenhum dos governos atuais é o “pai da criança”. Ou seja, sempre haverá a referência de outros governantes no processo e nenhum político gosta de dividir uma obra com outro nome.
2) Não há bandeiras que defendam os pequenos empreendedores e profissionais na proposta do Parque. Em resumo: não há nada que dê votos. Sendo assim, as lideranças políticas não o vêem como um ativo político de importância.

Próximos passos

Caso o Parque seja benéfico para o setor de Tecnologia e também para a economia do DF, deve haver uma pressão profunda da sociedade para que ele, de fato, venha a ser construído. A comunidade deve unir forças e lutar por ele. Esse é caminho correto para a viabilização de um projeto com esse fim.

Por Juliana Ribeiro com revisão do Jornalista Emerson Garcia (emersongaffonso@gmail.com)

Juliana Ribeiro
Carreira Executiva: foi diretora de várias entidades de tecnologia e empreendedorismo.