Metrô do DF compra peças de 2ª mão para consertar trens

10 jan 2018

Peças foram vendidas pelo Metrô de SP, que já usa trens mais modernos; parte é usada, outra ‘intacta’ e estava parada no estoque. Compra ocorreu porque fabricante fechou e produtos não estão mais no mercado.

Metrô do Distrito Federal fechou contrato para comprar peças de segunda mão do Metrô de São Paulo. São 205 peças de 35 tipos diferentes – parte delas já foi usada em trens paulistanos e outra parte é nova porque estava parada no estoque, diz o Metrô-DF. O gasto foi de R$ 4,1 milhões.

Segundo o Metrô brasiliense, engenheiros comprovaram que as peças estão em perfeito estado. A companhia informou que o acordo foi necessário porque o material deixou de ser produzido em fábrica.

A compra do material de São Paulo só foi possível porque o Metrô de lá modernizou o sistema e renovou a frota. Os trens usados no DF são da “Série 1000”, fabricados pela empresa estatal paulistana Mafersa, que fechou nos anos 1990.

O Metrô-DF defende que a medida vai trazer uma economia de 80% em relação ao preço dos itens.

O material

As peças têm garantia de três meses. Serão usadas na manutenção de 20 trens, nos sistemas que apresentarem falhas ou precisarem de revisão. Elas devem sair de SP na próxima semana, com previsão de chegar depois de 20 dias.

 A negociação entre os metrôs começou em 2011. Só neste ano, no entanto, foi possível ter orçamento para a compra.

Modernização

O problema de modernização é antigo. Por mais que haja melhorias no sistema, como na transmissão de dados, as lacunas estruturais permanecem.

Desde 2015, o Metrô do DF tenta liberação de recursos do governo federal para comprar dez novos trens. Até a publicação desta reportagem, o pleito seguia sem ser atendido.

Atualmente, o serviço conta com 32 trens, sendo 24 usados no dia a dia. Cerca de 160 mil pessoas usam o transporte todos os dias no DF.

Fonte: G1