Bolsonaro, Mourão, Maia e Ibaneis lamentam a morte de Boechat

0
5
Compartilhe

O presidente Jair Bolsonaro, o vice-presidente Hamilton Mourão e o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, expressaram pesar pela morte do jornalista Ricardo Boechat, em acidente de helicóptero ocorrido em São Paulo.

 

 

Bolsonaro lamentou o acidente que vitimou Boechat:  “É com pesar que recebo a triste notícia do falecimento do jornalista Ricardo Boechat, que estava no helicóptero que caiu hoje em SP. Minha solidariedade à família do profissional e colega que sempre tive muito respeito, bem como do piloto. Que Deus console a todos!”.

Mourão também manifestou seus sentimentos: Manifesto meus sentimentos às famílias de #RicardoBoechat e do piloto do helicóptero, aos profissionais da Rede Bandeirantes, rádio e televisão, extensivos à classe jornalística, pela triste notícia do acidente que os vitimou. Deus no comando”.

O governador Ibaneis Rocha disse em nota que ficou profundamente consternado com o falecimento de Boechat, que ele tinha na conta de profissional muito competente. “Eu, como ouvinte assíduo da rádio Band News FM, quero me solidarizar a direção da Band, aos colegas de trabalho e, especialmente, a família, desejando que Deus o acolha e conforte a todos os que por aqui choram a sua ausência.”

Os presidentes do Legislativo também demonstraram seus sentimentos nas redes sociais. O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) afirmou que recebeu com tristeza a notícia da morte. “Recebo com tristeza a informação sobre a morte do jornalista Ricardo Boechat e do piloto do helicóptero que caiu nesta manhã. Boechat foi um dos grandes comunicadores do nosso país e uma referência de bom jornalismo e independência. Minha solidariedade a seus familiares e amigos”.

O presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre (DEM-AP) também lamentou a triste perda para a imprensa brasileira: “Envio meu sentimento de solidariedade aos seus colegas de trabalho e à toda sua família.    Tenho certeza que os brasileiros lamentam a morte desse argentino que escolheu o Brasil como lar. Fica a saudade e o respeito pelo homem e jornalista que sempre demonstrou ser”.