Serviços perdem embalo na suposta retomada econômica

sexta-feira, 13 abril, 2018 | 13:28

Compartilhe

Com perdas consecutivas registradas nos últimos três meses, o setor de Serviços prestados às famílias atingiu em fevereiro o ponto mais baixo da série histórica da Pesquisa Mensal de Serviços, iniciada em janeiro de 2011 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A atividade de serviços prestados às famílias está 17,5% abaixo do pico registrado em outubro de 2013. “O principal impacto da perda são restaurantes, 45% dos serviços prestados às famílias como um todo são restaurantes”, apontou Rodrigo Lobo, analista da Coordenação de Serviços e Comércio do IBGE.

Comida no trabalho

A situação continua apertada para as famílias. “Os poucos ganhos auferidos pelas famílias não têm se revertido em ganhos nos serviços prestados às famílias”, confirmou Lobo. “Tem muita gente levando comida para o trabalho, gente que compra marmita”, assinalou.

Segundo o economista Num momento de instabilidade e incerteza, o aumento na renda tende a ser direcionado à  poupança ou pagamento de dívidas. “Não é automático o aumento da renda para o aumento de consumo. Por enquanto não tem se revertido. Depende da escolha das famílias”, explicou.

Pulo do gato

Os serviços prestados às famílias representa 9,5% do setor de serviços como um todo. Daí a recuperação do mercado de trabalho não é determinante para impulsionar avanços generalizados. “O setor de serviços depende de um conjunto de fatores grande, de maneira que a receita acabe ganhando. Reduzir o custo e aumentar a receita será o pulo do gato para que serviços aumentem de forma duradoura”, complementou Lobo.


Deixe seu comentário