Sebraelab apoia desenvolvimento de empreendedores brasilienses

segunda-feira, 1 outubro, 2018 | 21:21

Compartilhe

Idealizado para estimular a criatividade e a inovação, o Sebraelab tem ajudado a construir um cenário mais próspero para a Capital Federal. O espaço, localizado no Parque Tecnológico de Brasília (BioTIC), completou dois meses de funcionamento em agosto, promovendo o acesso a orientações, capacitação e consultorias para empreendedores e empresários que queiram investir em inovação, desenvolver produtos e criar startups.

Com uma estrutura distribuída em 800m², o espaço já recebeu mais de 1.400 visitantes e foi cenário para a realização de 21 eventos. Outros 16 eventos já estão programados até o final do ano e irão apresentar inovação e tecnologia a diversos segmentos econômicos.

O superintendente do Sebrae no DF, Rodrigo Sá, explica que o espaço tem permitido o crescimento e o fortalecimento de ideias capazes de colaborar com a recuperação do tecido econômico do Distrito Federal. “O Sebraelab foi planejado para promover uma verdadeira revolução no DF, por meio de soluções criativas desenvolvidas por pequenos empreendedores. É um ambiente de convivência colaborativa que beneficia as mais diversas cadeias produtivas em operação no DF”, afirma.

O laboratório tem sido fundamental para Bruno Castilho, morador da Asa Norte. Logo após terminar o Mestrado na área de Gestão do Conhecimento em Tecnologia da Informação, em 2016, o potencial empreendedor notou a dificuldade dos estudantes no momento de produzir textos científicos. Bruno começou a pensar em maneiras de facilitar a elaboração de trabalhos acadêmicos e fundou a plataforma educacional Meu Script.

Já empreendedor, Bruno começou a peregrinar pela cidade à procura de ambientes colaborativos. Passava horas em cafeterias e chegou a alugar espaços de coworking com o intuito de desenvolver sua ideia. Quando não conseguia, o empreendedor dava continuidade ao trabalho dentro de sua própria casa.

No final de junho, a história de Bruno Castilho começou a mudar. Convidado para conhecer a estrutura do BioTIC, ele enxergou no Sebraelab um ambiente capaz de colaborar com o amadurecimento de sua proposta de negócio. “Acredito que o empreendedor, no início da trajetória, deve agarrar todo tipo de oportunidade. Quando cheguei ao Sebraelab pela primeira vez, vi que a estrutura poderia me atender, sem que eu tivesse de pagar nada por isso”, conta.

O empreendedor passou a frequentar o laboratório três vezes por semana. Ele utiliza o espaço de coworking e as salas de ideação e reunião, onde frequentemente realiza videoconferências com startupeiros espalhados por todo o Brasil. “Consigo intercambiar conhecimentos e adquiro novos contatos. Muitas vezes, estou sentado e chega alguém. Começamos a conversar sobre projetos, experiências e outros assuntos. Isso tem me ajudado a desenvolver novas ideias e habilidades”, acrescenta Bruno.

A experiência dentro do laboratório fez com que ele procurasse a Ouvidoria do Sebrae no Distrito Federal para registrar um elogio ao espaço. “O Sebraelab é um ambiente bonito, confortável, calmo e que cumpre a sua missão de estimular os empreendedores criativos. Estou mais focado e produtivo desde o momento em que comecei a utilizar a estrutura”, afirma.

“Espero que outros espaços similares ao laboratório sejam inaugurados no DF, facilitando o acesso de empreendedores e, principalmente, de estudantes universitários. Penso no tanto de ideias que poderiam ser aproveitadas dessa forma. A academia está recheada de soluções inovadoras, mas que precisam, justamente, de uma instituição que lhes forneça apoio”, explica Bruno.

Atualmente, a plataforma Meu Script está em fase de testes em cinco instituições privadas de ensino do Distrito Federal e já conta com a validação de mais de 500 pessoas. O resultado estimulou Bruno a preparar uma estratégia de marketing agressiva para lançar a plataforma em todo o país, o que deve acontecer até o final de novembro.

Mas antes de expandir a startup, Bruno garante que irá se aproximar – ainda mais – do Sebrae. “Em breve, tenho a intenção de participar de um programa de aceleração de startups e sei que o Sebrae pode me ajudar nisso também. A comunidade acadêmica é bem expressiva no Brasil e a plataforma que criei pode ajudar na elaboração de milhares de textos e artigos que ainda serão produzidos”, completa o empreendedor. (DP)


Deixe seu comentário