Socorro! Qual alimento devo comprar orgânico, funcional ou transgênico?

quarta-feira, 11 julho, 2018 | 22:30

Compartilhe
  • 1
    Share

Antigamente tínhamos os alimentos que plantávamos, ou quando íamos na feira ou supermercado era fácil comprar porque tínhamos poucas opções e os alimentos não possuíam classificação.

Atualmente, encontramos várias denominações para os alimentos, como: orgânicos, funcionais e transgênicos.  A grande dúvida é: existe diferença entre eles? Não é tudo alimento? Qual o melhor?

Deixa eu explicar para você a diferença entre essa variedade de alimentos:

Os Alimentos Orgânicos são produzidos sem a utilização de produtos químicos, sem adubos químicos e não é permitido o uso de sementes transgênicas na produção. Nesse caso, os agricultores se preocupam com o equilíbrio entre o solo e os recursos naturais, visando o desenvolvimento sustentável do meio ambiente e assim retirando o produto da terra de forma mais natural possível.

A produção orgânica deve obedecer rigorosamente aos princípios do Instituto Biodinâmico (IBD) para conseguir a certificação de produto orgânico.

Há no mercado dois tipos de selo ou certificações para os produtos orgânicos: produtos orgânicos e produtos com ingredientes orgânicos. Os produtos orgânicos são considerados orgânicos se forem compostos de apenas um ingrediente que deve ser 95% orgânico, enquanto que os produtos com ingredientes orgânicos deve conter até 70% de ingredientes orgânicos.

A grande dúvida da maioria das pessoas é se os produtos orgânicos são mais nutritivos em termos de nutrientes como, carboidrato, proteína e gordura, ou em relação as vitaminas e minerais do que os alimentos não orgânicos.

Em relação a carboidrato, proteína e gordura, a diferença entre os produtos orgânicos e os não-orgânicos é quase nenhuma. Porém, em relação às vitaminas e minerais, já existem pesquisas que demonstram que, pelo fato de não ser utilizado agrotóxicos nesse cultivo, os alimentos orgânicos possuem mais defesas antioxidantes do que os não orgânicos para se defender das pragas.

Além de serem alimentos com vantagens nutricionais, são também alimentos que contribuem para a preservação da natureza, já que na sua produção é priorizado o desenvolvimento sustentável e a qualidade de vida do produtor.

Lembrando que, para ser orgânico, o produto deve ter a certificação do Instituto Biodinâmico (IBD). Outra questão importante é não confundir orgânico com hidropônicos, onde o exemplo mais comum é a alface. No mercado facilmente você encontrará a alface orgânico ao lado do hidropônico.

Muitas pessoas acreditam que comprar uma alface hidropônica é tão saudável como consumir um orgânico. A hidroponia é uma técnica de cultivo realizada na água e seus produtos obtém nutrientes através de adubos químicos solúveis. O cultivo orgânico dispensa todos os produtos químicos e utiliza apenas adubos naturais. Por isso, sempre que possível, prefira alimentos orgânicos. (nesse vídeo eu falo sobre essa diferença:  https://bit.ly/2thTI4d).

Bem, agora que você entendeu essa diferença vamos seguir para os famosos Alimentos Funcionais. Esses estão em alta. São alimentos que possuem compostos bioativos ou fitoquímicos que atuam diminuindo o risco de doenças crônicas, câncer e outras doenças, além de promover benefícios para o organismo de quem consume.

Mas o que torna um alimento funcional? Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA),  os alimentos funcionais são aqueles ”alimentos ou ingredientes que, além das funções nutritivas básicas, quando consumidos como parte da alimentação usual, produzem efeitos metabólicos e/ou fisiológicos benéficos à saúde, devendo ser seguros para o consumo sem supervisão médica”. Eu particularmente sou apaixonada pela nutrição funcional, aqui o comer vai além de saciar sua fome física e/ou emocional, aqui seu corpo ingere um alimento que irá auxiliar na máquina perfeita que é o corpo humano.

Por exemplo, antes de ir fazer uma caminhada você pode apenas comer ou você pode ingerir um alimento com propriedades que irão acelerar seu metabolismo durante seu exercício físico, e assim, podemos atingir excelentes resultados no emagrecimento e no ganho de massa muscular.

Usamos a comida a seu favor.

Alimentos Transgênicos: são alimentos desenvolvidos em laboratório com parte de diferentes espécies. Também conhecidos como Organismos Geneticamente Modificados (OGM), que na lei nº 11105 de 24 de março de 2005, são definidos como quaisquer “organismos cujo material genético tenha sido modificado por qualquer técnica de engenharia genética”. Porém, por conhecer ainda muito pouco dos efeitos a longo prazo do consumo de alimentos transgênicos, muitas pessoas preferem evitar o consumo destes. Hoje eu realmente não indico o uso desses alimentos e treino meus clientes a fazerem leitura dos rótulos de todos os produtos para identificá-los.

Os produtos transgênicos deveriam ter identificação em seus rótulos, conforme o Decreto 4680 de 2003, mas, como isso não acontece, a IBD resolveu dar selos para os produtos que comprovadamente não são geneticamente modificados.

Realmente, temos muita coisa envolvida quando pensamos em fazer compras nos dias de hoje, então uma regrinha básica que ensino meus clientes e vou compartilhar com você é o consumo de alimentos naturais e de preferência aqueles produtos que nossos avós conheciam. A indústria chegou trazendo facilidade, mas junto trouxe muitas consequências negativas para nossa saúde. O ideal é consumirmos no nosso dia a dia alimentos funcionais, para aumentar nossa produtividade, saúde e disposição. Se forem orgânicos, excelente, se não, mantenha a regrinha mais natural e menos caixinhas, vidrinhos e latinhas.


Deixe seu comentário