Mulher morre após fazer escova progressiva

terça-feira, 27 Março, 2018 | 18:16

Uma mulher morreu em Pindamonhangaba, interior de São Paulo, após realizar um procedimento químico no cabelo. Márcia Gomes Alves Fernandes, de 48 anos, deu entrada no Pronto-Socorro Municipal de Pindamonhangaba na quarta-feira, 14 de março, e faleceu no dia seguinte. De acordo com a prefeitura, responsável pelo local de atendimento, a paciente morreu por “insuficiência respiratória aguda, bronquite aguda e asma, decorrentes de uma intoxicação por produto químico no cabelo, pescoço e nas vias respiratórias,de correntes da inalação”.

Embora o produto químico que causou a intoxicação não tenha sido identificado, acredita-se que a reação tenha sido causada por uma escova progressiva com formol. A vítima, que sofria de problemas respiratórios, realizava alisamentos no cabelo e já havia apresentado reações alérgicas antes. No entanto, nenhuma tão grave.

Produto proibido

Desde 2005, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), limitou o uso de formol em produtos estéticos a uma concentração máxima de apenas 0,2%. Essa quantidade não é suficiente para alisar os fios e age apenas como conservante do produto. No entanto, muitos salões driblam a recomendação.

O formol é uma substância extremamente tóxica, alergizante e cancerígena. De acordo com a Anvisa, os riscos do formol para a saúde são decorrentes da inalação da substância, que pode causar desde irritação até câncer nas vias respiratórias superiores.  Isso acontece porque o procedimento de alisamento capilar envolve o aquecimento dos fios através do uso do secador e chapinha que provocam a evaporação do formol.

Problemas para a saúde

O contato com essa substância pode levar à irritação da pele, dor e queimaduras. Já a inalação pode causar irritação na garganta, tosse, diminuição da frequência respiratória e mesmo pneumonia. A longo prazo, podem ocorrer também: boca amarga, dores de barriga, enjoos, vômitos, desmaios, além de feridas na boca, narinas e olhos, e câncer nas vias respiratórias superiores.

Como saber se um produto tem formol?

O formol tem um cheiro  característico e forte, já causando irritação momentânea. Portanto, se você sentir um cheiro forte e que te faça tossir durante o procedimento, peça para o profissional parar imediatamente e retirar o produto.

Substâncias permitidas para alisamento

A Anvisa disponibiliza uma lista de substâncias permitidas para alisamento capilar, como: ácido tioglicólico, hidróxido de sódio, hidróxido de potássio, hidróxido de cálcio, hidróxido de lítio, hidróxido de guanidina, entre outras.

Tintas de cabelo e outros produtos também podem causar reações alérgicas em quem já tem sensibilidade. O ideal é fazer um teste, passando um pouco do produto no braço, antes de utilizá-lo na cabeça inteira, por exemplo.

De acordo com a prefeitura de Pindamonhangaba, todos os estabelecimentos da cidade são submetidos a fiscalizações periódicas para avaliar as condições de uso. No caso da morte de Márcia, ninguém foi punido pois nem a prefeitura nem a família sabem onde o procedimento foi realizado.

Produtos proibidos

Na última segunda-feira, a Anvisa proibiu a venda, distribuição, divulgação e utilização de quatro alisantes de cabelo após análises feitas pelo Laboratório Central de Saúde Pública de Pernambuco terem identificado níveis de formol acima do limite tolerado pela legislação nesses produtos.