Ex-ministro contou detalhes da atuação de Lula em negociações envolvendo fundos de pensão

quarta-feira, 9 janeiro, 2019 | 21:11

Compartilhe

O ex-ministro dos governos do PT Antonio Palocci assinou nesta quarta-feira, 9, o primeiro acordo de delação premiada com os procuradores da força-tarefa da Operação Greenfield, que investiga fraudes praticadas em fundos de pensão ligados a empresas e bancos estatais. No total, é o terceiro acordo celebrado por ele.

Os outros dois acordos assinados pelo ex-ministro, o primeiro em abril e o segundo em outubro, foram negociados com a Polícia Federal de Curitiba e de Brasília, respectivamente, no âmbito da Operação Lava Jato.

Em três dias de depoimentos, Palocci contou aos procuradores detalhes da atuação do ex-presidente Lula (PT) em negociações envolvendo fundos de pensão. Entre eles, o acordo feito para que Funcef (Caixa) e Petros (Petrobras) entrassem como acionistas da Norte Energia, proprietária da usina hidrelétrica de Belo Monte.

No relato, Palocci lista uma série de pressões feitas por Lula junto a presidentes dos fundos para que eles aportassem recursos em empresas sem analisar o retorno financeiro que teriam.

A defesa do ex-presidente ainda não se pronunciou sobre o novo acordo de delação que tem Lula como o principal alvo.

Já o PT disse, em nota, que os fatos abordados pelo ex-ministro são “mais uma mentira vendida por criminosos à Lava Jato para sair da cadeia e recuperar o dinheiro que desviaram”. (DP)


Deixe seu comentário