Coronavírus: brasileiro recebeu 30 pessoas em casa

0
272
Algerian paramedics wearing protective outfits are pictured in front of El-Kettar hospital's special unit to treat cases of novel coronavirus in the capital Algiers on February 26, 2020. - Algerian authorities announced yesterday the country's first case of the novel coronavirus, in an Italian citizen who arrived in the country on February 17. (Photo by RYAD KRAMDI / AFP)
Compartilhe

 

Após a confirmação do primeiro caso do novo coronavírus no Brasil, as autoridades entrarão em contato com até 60 pessoas que estiveram próximas ao paciente diagnosticado em São Paulo. Apenas no fim de semana, o homem recebeu 30 pessoas da família em casa, que já foram contactadas para acompanhamento. Segundo o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, o paciente está em isolamento domiciliar com a família.

O caso mais preocupante, ainda de acordo com o ministro, é da esposa do homem. “A atenção maior é para ela, que esteve mais perto, que dormiu na mesma cama. Contudo, todos que tiveram contato com o doente, por mais de 30 minutos, serão monitorados. Por isso, o número pode subir”, disse.

Fora os familiares com quem ele se relacionou no fim de semana, outros 16 passageiros que estavam sentados próximos ao paciente na viagem de volta para o Brasil também estão sendo procurados e outros poderão ser buscados. O homem diagnosticado chegou ao País no último dia 21, depois de uma viagem de 12 dias à Itália, e apresentou sintomas a partir do dia 23.

Confirmação

O diagnóstico do caso foi confirmado nesta quarta-feira, 26, às 11h, após relato do Hospital Israelita Albert Einstein, na capital paulista, ser feito às 12h08 do dia anterior, conforme o Ministério da Saúde. O secretário-executivo da pasta, João Gabbardo dos Reis, pontuou que cada pessoa diagnosticada com coronavírus no mundo transmitiu a doença para 2 a 3 pessoas, em média.

Medidas

Após a confirmação, o Ministério da Saúde reforçou medidas anteriormente anunciadas pela pasta. Entre as ações estão aquisição de máquinas e insumos para unidades de saúde, aluguel de 1 mil leitos de cuidado intensivo caso haja necessário e orientação em aeroportos.

“Com certeza vamos passar por essa situação aguardando, com investimento em pesquisa, ciência e clareza de informação. A população terá todas as informações que sejam necessárias para que cada um se organize e tome as devidas precauções”, disse o ministro Luiz Henrique Mandetta em coletiva de imprensa.

 

Com informações do Estadão Conteúdo