Gilmar libera para julgamento ‘HC’ de Lula já com dois dos cinco votos contra

0
126
Compartilhe

Pedido de liberdade será julgado por ministros indignados com críticas dos procuradores

O ministro Gilmar Mendes terá dificuldades de convencer a opinião pública e seus próprios colegas de Supremo Tribunal Federal (STF) que foi apenas uma coincidência sua decisão deliberar nesta segunda-feira (10), para julgamento, mais um pedido de habeas corpus do ex-presidente Lula que alega suspeição do ex-juiz e ministro Sérgio Moro (Justiça) e questiona sua atuação no processo no qual o petista foi condenado.

A decisão de Gilmar Mendes coincide com a divulgação de troca de mensagens entre Moro e procuradores da força-tarefa da Lava Jato. Há também nas mensagens furtadas dos celulares críticas ácidas dos procuradores à atuação do STF.

Advogados experientes acham que ao colocar o caso em julgamento Gilmar pretenderia aproveitar a forte indignação dos ministros, diante dessas críticas, para tentar aprovar a concessão de habeas corpus ao ex-presidente, que, segundo esses procuradores, chefiou a organização criminosa que roubou a Petrobras.

O pedido, que pode ser analisado nesta terça (11) ou no dia 25 de junho, pela Segunda Turma do STF, foi apresentado pela defesa do político condenado por corrupção e lavagem de dinheiro logo após Sérgio Moro aceitar o convite para integrar o ministério do governo Jair Bolsonaro.

O habeas corpus a ser julgado começou a ser analisado em dezembro, mas, após dois votos contra a concessão, Gilmar Mendes pediu vista, ou seja, mais tempo para analisar o caso.(DP)