Polícia Federal deflagra 5ª fase da Operação Xeque-Mate que investiga desvios de recursos na Paraíba

0
100
Compartilhe

PF cumpre mandados de busca e apreensão em endereços ligados a suspeitos de fraudes na aquisição de medicamentos pela prefeitura de Cabedelo/PB.

 

A Polícia Federal deflagrou, na manhã de hoje (08), em conjunto com o Ministério Público Federal, o GAECO/MP/PB e a CGU, a quinta fase da Operação Xeque-Mate. A missão é o cumprimento de mandados de busca e apreensão determinados pela 16ª Vara da Justiça Federal da Seção Judiciária da Paraíba.

O cumprimento das medidas, na data de hoje, tem por objetivo angariar elementos de prova relacionados à possível prática de crimes e desvios de recursos públicos federais destinados à aquisição de medicamentos pela Prefeitura de Cabedelo/PB.

A operação conta com a participação de 50 policiais federais, dando cumprimento a oito mandados de busca e apreensão nas residências dos investigados e nas empresas contratadas pela Prefeitura de Cabedelo/PB, para fornecimento dos medicamentos.

Crimes investigados

Os investigados poderão responder pelos crimes de formação de organização criminosa, lavagem de dinheiro, corrupção ativa e fraude licitatória, previstos, cujas penas, somadas, poderão chegar a mais de 30 anos de reclusão.

Entenda

A primeira fase da Xeque-Mate foi deflagrada em abril de 2018, com objetivo de desarticular um esquema de corrupção na administração pública do município de Cabedelo, localizado na região da Grande João Pessoa.

A operação moveu algumas peças na gestão da cidade e modificou, rapidamente, a administração da cidade. A Polícia Federal cumpriu 11 mandados de prisão preventiva, 15 sequestros de imóveis e 36 de mandados busca e apreensão expedidos pelo Tribunal de Justiça da Paraíba.

Quatro mandados de busca e apreensão foram cumpridos em João Pessoa e Cabedelo, durante a segunda fase da Operação Xeque-Mate, em julho de 2018. De acordo com a Polícia Federal, foi realizado o sequestro de aplicações e ativos financeiros no valor de mais de R$ 3 milhões. JBr