PTistas já estão na porta da PF à espera da soltura de Lula

0
344
Compartilhe

Na tarde desta sexta-feira (8), parlamentares do Partido dos Trabalhadores (PT) já comemoram a liberdade do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva. A informação de Célio Moura (PT-TO) é de que o juiz da 12ª Vara de Execuções Penais de Curitiba, Danilo Pereira Júnior, afirmou que vai conceder a soltura do petista ainda hoje.

Segundo levantamento do Ministério Público do Paraná, ao menos 38 réus devem ser beneficiados pela decisão. A deputada Erika Kokay também se pronunciou conforme a fala de Célio Moura. Confira: 

Erika Kokay

URGENTE: Informações que temos direto de Curitiba é que Lula sai ainda hoje da carceragem. Todo o entorno da PF já está preparado para a liberdade do preso político mais importante do mundo na atualidade.
Não tem espaço no peito pra tanta expectativa e emoção!

O advogado de Lula, Cristiano Zanini, concedeu coletiva de imprensa nesta tarde e afirmou que “agora vamos aguardar”. “Pedimos urgência, que houvesse celeridade no pedido, mas isso depende exclusivamente do magistrado”.

Veja a fala de Zanini: 

Reviravoltas

A vida do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) é marcada por reviravoltas imprevisíveis que costumam se confundir com as da história do Brasil.

– 27 outubro de 1945: Nasce em uma família de agricultores pobres do nordeste, que emigra quando ele tinha 7 anos para o estado de São Paulo para tentar escapar da fome.

– 1975: Presidente do sindicato de metalúrgicos, setor onde trabalha desde os 14 anos.

– 1978-80: Lidera grandes greves no ABC paulista em plena ditadura (1964-1985) e é preso por um mês por seu papel no sindicato.

– 1980: Participa da fundação do Partido dos Trabalhadores (PT) e ajuda a criar a Central Única de Trabalhadores (CUT), que se torna a maior federação operária do Brasil.

– 1º de janeiro de 2003: Primeiro presidente brasileiro de origem operária. Reeleito em 2006, termina seu mandato em 2010 com mais de 80% de aprovação. Graças a seus programas sociais, 29 milhões de brasileiros saem da miséria, apesar de o país continua sendo muito desigual.

– 2005: a direção do PT é dissolvida depois do escândalo do “Mensalão”.

– 4 de março de 2016: o juiz Sergio Moro ordena a condução coercitiva de Lula para prestar depoimento no marco da operação Lava Jato.

– 12 julho de 2017: Moro o condena a nove anos e meio de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, como beneficiário de um apartamento no balneário paulista do Guarujá oferecido pela construtora OAS em troca de sua mediação para obter contratos na Petrobras.

– Janeiro de 2018: Um tribunal de segunda instância (TRF4) eleva a pena a 12 anos e um mês de prisão.

– 7 de abril de 2018: Dois dias depois que Moro ordenar sua prisão, Lula se entrega à polícia no Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo e começa a cumprir sua sentença em Curitiba (sul).

– 31 de agosto de 2018: O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) invalida sua candidatura para as eleições presidenciais de outubro. No dia 11 de setembro, Lula é substituído por Fernando Haddad, ex-prefeito de São Paulo, como candidato do PT. Haddad é derrotado no segundo turno por Jair Bolsonaro.

– 23 de abril de 2019: O Superior Tribunal de Justiça (STJ, terceira instância) confirma o veredito contra Lula, mas reduz sua pena para 8 anos e 10 meses de prisão.

– 7 de novembro de 2019: O Supremo Tribunal Federal (STF) decide, por 6 votos a 5, que ninguém pode ser preso antes de esgotar os recursos nas quatro instâncias judiciais existentes no Brasil. Essa decisão abre caminho para a libertação iminente de Lula e ao exame da situação judicial de cerca de 5.000 pessoas, incluindo cerca de 40 implicados em casos investigados pela Operação Lava Jato.

Com informações de agências