Caso Bernardo: não foi possível identificar corpo por reconhecimento visual

0
202
Compartilhe

 

“O reconhecimento visual não foi possível e o confronto de digitais foi inconclusivo”, afirmou PCDF por meio de nota enviada à imprensa.

 

Agentes da Divisão de Repressão a Sequestro (DRS) foram, nesta sexta-feira (6) para Campos de São João, distrito de Palmeiras, na Bahia. Na tarde de quinta-feira (5), um corpo de uma criança e uma cadeirinha foram encontrados na região. O cadáver pode ser de Bernardo, bebê desaparecido há uma semana.

Além de agentes da DRS, a avó da criança também foi até a cidade para reconhecer o corpo. Entretanto, segundo a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), “o reconhecimento visual não foi possível e o confronto de digitais foi inconclusivo. Por estes motivos, a identificação deverá ser realizada por meio de outros exames como o DNA”.

Policiais da delegacia de Palmeiras-BA foram informados por um morador que havia um corpo em um matagal às margens da BR-242. Os agentes foram ao local e encontraram um menino com as características de Bernardo. O corpo estava vestido com uma calça azul listrada e uma blusa branca. Uma cadeirinha e um cordão de âmbar também foram encontrados.

Local onde corpo que pode ser de Bernardo foi encontrado fica a mais de 1.200 km de Brasília. Foto: Google Maps/Reprodução

O corpo e os itens devem passar por exame de DNA para confirmação. O resultado deve ficar pronto em até 30 dias.

O caso

O garoto Bernardo, de 1 ano e 11 meses, está desaparecido desde a última sexta-feira (29). Paulo Roberto de Caldas Osório, 45 anos, sumiu com o garoto. Até então, o bebê não foi encontrado.

A suspeita é que Paulo queria tirar Bernardo da mãe, Tatiana da Silva Marques, 30 anos, e da avó materna. Ele foi preso em Alagoinhas-BA no sábado (30), mas foi encontrado sem o garoto. Perguntado onde o filho estava, ele disse que o dopou na sexta (29), fez viagem com ele até a Bahia e, quando percebeu que ele estava morto, o jogou numa mata.

Os policiais foram ao local em que Paulo conta ter deixado o corpo do filho. Trata-se de uma área de cerca de 100 metros de mata, próximo a cidade de Luís Eduardo Magalhães-BA. Segundo os agentes, trata-se de uma região de plantação de soja. Os trechos de mata fechada foram “exaustivamente vasculhados” nos últimos dias, mas Bernardo não foi encontrado. Um helicóptero auxiliou na operação. “Conclui-se que o cadáver não estaria na região”, afirma a polícia.

A região de Palmeiras, também na Bahia, fica a cerca de 700 km de Luís Eduardo Magalhães (imagem abaixo). Os dois municípios são ligados pela BR-242, onde o corpo do garoto que pode ser Bernardo foi encontrado.

Foto: Google Maps/Reprodução

O que se sabe até então

  • Na sexta-feira (29), Paulo buscou Bernardo na creche, na Asa Sul, como costumava fazer. Ele teria de devolver o garoto à mãe, Tatiana, às 20h. Chegou a dizer a ela que estava a caminho, mas não apareceu;
  • Depois, enviou mensagem à Tatiana dizendo que estava sumindo e que não voltaria com o filho;
  • A partir daí, a história é contada a partir da versão de Paulo, que ainda carece de investigação. Ele diz que, ainda na sexta (29), diluiu quatro comprimidos de remédio controlado no suco de Bernardo e deu a ele, com a intenção de fazê-lo dormir para que os dois viajassem para o Estado da Bahia;
  • Bernardo não teria dormido num primeiro momento. Paulo, então, teria dado banho no garoto e decidido devolvê-lo. Porém, o suspeito disse que o bebê vomitou e dormiu, o que o levou a retomar a ideia de viajar com o garoto para sumir e dar “um susto” em Tatiana;
  • Paulo conta que pegou estrada rumo ao Nordeste do país, até que parou para abastecer, ainda na sexta (29). Neste momento, ele afirma ter visto que Bernardo estava “molenguinho”, já sem sinais vitais;
  • Percebendo a morte do filho, ele teria andado por mais alguns quilômetros e jogado o corpo do filho em uma mata na BR-020, num trecho da estrada que liga Formosa-GO a Luis Eduardo Magalhães-BA.
    Dada a versão de Paulo, a polícia iniciou buscas aéreas e terrestres pelo corpo de Bernardo, na região indicada, em trecho de cerca de 100 km de mata. Após vasculhar a área entre quarta e quinta-feira (5), os policiais descartaram a presença do filho de Paulo e Tatiana;
  • Na tarde de quinta (5), investigadores da DRS foram avisados por policiais do Estado da Bahia que um corpo de uma criança foi encontrado em Campos de São João, distrito de Palmeiras-BA. Uma cadeirinha também foi localizada. O cadáver, já em decomposição, pode ser de Bernardo;
  • Dada a informação, a PCDF se dirige nesta sexta (6) para o local indicado. Será necessário aguardar a chegada dos agentes para, talvez, definir se o corpo é de Bernardo ou não. JBr