Comunidade do Sol Nascente comemora inauguração de escola classe

0
71
Compartilhe

 

Vice-governador Paco Britto e secretariado participam da solenidade na EC Juscelino Kubitschek, que reunirá 900 alunos de quatro a dez anos

Por Lucíola Barbosa

 

Foi inaugurada nesta quinta-feira (13) a Escola Classe Juscelino Kubitschek, que vai atender mais de 900 alunos de quatro a dez anos, da educação infantil e do ensino fundamental, até o 5º ano. O evento reuniu o alto escalão do Executivo local, administradores regionais e vários parlamentares, além da comunidade local.

As autoridades visitaram as instalações da escola, que estava toda enfeitada com balões coloridos, antes de se reunirem na quadra de esporte para a cerimônia de inauguração. O investimento na construção da escola, responsabilidade da Organização Paulo Octávio, foi de mais de R$ 20 milhões.

“Ajudem a cuidar da escola, para que esta e futuras gerações trilhem um caminho de sucesso e de realizações”Paco Britto, vice-governador do DF

Representando o governador Ibaneis Rocha, o vice-governador Paco Britto lembrou que a EC JK é a terceira escola desta gestão. No ano passado, Ibaneis inaugurou os Centros de Educação de Primeira Infância (Cepis) Azulão e Bambu, em Samambaia, beneficiando 350 crianças. A inauguração de outros cinco Cepis é esperada para as próximas duas semanas.

“Em parceria com a Organização Paulo Octávio, em que a equipe de arquitetos da Secretaria de Educação fez o projeto, colocamos o terreno à disposição. E a Paulo Octávio, com sua equipe, entregou a obra em tempo recorde”, discursou Paco Britto, após cumprimentar o aniversariante setenário Paulo Octávio.

Ao som do parabéns executado pela Banda de Música do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal, o empresário ganhou bolo, que foi distribuído aos convidados na festa de inauguração. O gesto fez a alegria da garotada, que também saboreou guloseimas como algodão doce.

Dirigindo-se aos presentes, que lotaram o ginásio da escola, Paco Britto pediu empenho a pais, alunos e professores da Escola Classe JK, “para que ajudem a cuidar da escola, para que esta e futuras gerações trilhem um caminho de sucesso e de realizações”.

Entrada da escola conta com jardins e espaços amplos e arejados | Foto: Lúcio Bernardo Jr. / Agência Brasília

A esperta Ana Luíza Alves, dez anos, entendeu o recado. Aluna do 5° ano, a pequena disparou, após saborear um pedaço de bolo: “Temos que cuidar, mesmo. Aqui é tudo diferente. É uma escola que eu gosto, porque tem opções para brincadeiras. E a festa está muito legal”.

Superestrutura

Trata-se de uma escola moderna e equipada com espaços lúdicos, onde pátios têm pisos emborrachados para proteção das crianças. Outro diferencial está nas possibilidades de interação sugeridas aos estudantes, a partir de estudos multidisciplinares, em que pesem o contato com a horta e o teatro de arena. Na educação física, os estudantes são protegidos por um ginásio coberto, com vestiários equipados com duchas.

Além disso, são 16 salas de aula de artes, ciência e informática – oito para a educação infantil e oito para o ensino fundamental; além das salas de música, com tratamento acústico, de artes e leitura, e mais três laboratórios. Outros destaques são a brinquedoteca e a cozinha experimental.

Com tantas opções, a família de Alana Monteiro, 20 anos, foi atraída pela novidade na cidade. Ela foi ao local, nesta quinta-feira, procurando vaga no 4º ano para o primo de nove, Felipe Monteiro. “A gente precisava demais. Aqui não tinha escola boa”, relatou, acrescentando que precisava se deslocar por meia hora por Ceilândia, considerando a distância de uma escola mais próxima.

Vice-governador visitou ambientes como o refeitório e pediu que comunidade preserve e valorize o local | Foto: Lúcio Bernardo Jr. / Agência Brasília

Na história

Para a diretora Marilda Rosa, a escola classe é um projeto diferenciado. “É um marco histórico na educação pública do DF, porque esta escola foi pensada pela equipe de arquitetos da Secretaria de Educação”, elogiou.

“O projeto é inovador em termos de logística e estrutura física para atender a área pedagógica.”

A professora Leiliane Leal trabalha com 28 alunos na faixa etária de quatro anos. Ela estava apenas com 12 deles, no refeitório, almoçando, quando a equipe de governo e convidados chegaram para visitar o espaço.

“É um projeto muito inovador. É mais fácil colocar na plataforma curricular, pois tem muitos recursos”, disse, enquanto servia os pequenos.

Habite-se

Em um discurso emocionado, Paulo Octávio fez questão de anunciar a entrega do habite-se ao vice-governador. “A primeira ação que faço, hoje, é entregar ao Paco o habite-se dessa escola. É um ato que [em anos anteriores] demorava meses, mas, graças à agilidade do governo, ontem à noite [12] já estava com ele”, revelou o empresário, sob o olhar da mãe, a também empresária Wilma Carvalho Alves Pereira.

O empresário também elogiou a celeridade da Secretaria de Educação em relação ao trabalho constante para que as aulas tivessem início no último dia 10 – apesar de a escola ter sido inaugurada nesta quinta-feira, as aulas começaram na última segunda-feira, início do ano letivo na rede pública de ensino no DF.

EC JK foi construída em um terreno com 4.550 metros quadrados | Foto: Lúcio Bernardo Jr. / Agência Brasília

“Estou emocionado, pois hoje é um dia muito especial em minha vida. Agradeço a cada um que veio à inauguração. Esta é a mais bonita escola do DF”, declarou Paulo Octávio. Segundo o empresário, duzentos homens trabalharam diuturnamente, por dois anos, para que a escola fosse inaugurada nesta quinta-feira. “É o maior presente que já dei e recebi nesses 70 anos de vida”, concluiu.

Para o secretário de Educação, João Pedro Ferraz, a escola é um sonho de toda a comunidade. “A secretaria está entregando esse prédio de excelência. Uma escola não se faz apenas com prédio, argamassa, mas com professores, alunos e comunidade. Precisamos e temos um corpo docente de primeira linha”, frisou.

Área

Construída em um terreno com 4.550 metros quadrados, a Escola Classe JK fica na Quadra 500, Trecho 01, do Sol Nascente. A escola recebeu esse nome em homenagem ao legado do estadista Juscelino Kubitscheck, presidente da República que inaugurou Brasília há 60 anos.

Teatro de arena é uma das apostas da escola para o campo das artes | Foto: Lúcio Bernardo Jr. / Agência Brasília

A estrutura também pode receber a comunidade escolar. A unidade vai beneficiar famílias dos 88.577 mil moradores da 32ª região administrativa do DF, Sol Nascente/Pôr do Sol, conforme dados da Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan).

Um acordo judicial entre o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) e a construtora Paulo Octávio garantiu o financiamento da construção da EC JK no Sol Nascente. Paco Britto anunciou que o GDF vai fazer muito mais para garantir o desenvolvimento da região do Sol Nascente/Pôr do Sol e de todo o DF.

“Apenas para citar alguns, aqui terá uma UPA [Unidade de Pronto Atendimento], mais escolas, creches e delegacia. Vamos fortalecer o empreendedor local, dar segurança para que o comércio cresça e gere renda e emprego para os moradores locais.”

Notícia que a moradora de Sol Nascente Nisalva dos Santos, de 32 anos, diz ter recebido com alegria. Com um bebê de seis meses no colo, ela participou da festa de inauguração com toda sua família. Mãe de dois filhos, um de quatro e outro de seis anos, ambos matriculados na Escola Classe JK, ela agradeceu o “presente”.

“Outras escolas ficavam muito longe. Esta escola é muito bonita, e o projeto com música, informática e arte é muito atrativo”, comemorou.

Agência Brasília