Melhorias nas unidades de saúde estão na fase final

0
23
Compartilhe

As adequações e revitalizações das estruturas das unidades públicas de saúde da Região Leste estão 70% concluídas. As reformas no Hospital da Região Leste (antigo Hospital do Paranoá) e nas demais unidades de saúde estão agradando aos profissionais e à população, segundo acompanhamento da Secretaria de Saúde (SES).

Assim se manifesta a vendedora Sara Gonçalves, 26 anos, que está grávida e é usuária frequente da UBS 3 do Paranoá. “A recepção ficou muito boa e mais aconchegante”, elogia. “Antes era muito apertada e as pessoas ficavam no sol ou na chuva. Agora, com a cobertura, ficou ótimo. O atendimento sempre foi bom, mas agora ficou mais confortável”. A exemplo dela, vários pacientes têm se mostrado satisfeitos com as mudanças.

“Essa melhoria era aguardada com muita expectativa, tanto pela população quanto por nós, profissionais”, avalia o técnico de enfermagem Elias Pereira. “Aprimorar a estrutura era fundamental para a melhoria do atendimento. Esperamos que essas melhorias repercutam positivamente na qualidade do atendimento da população, que agora terá um espaço reconfigurado, mais amplo e com mais leitos.”

Principais serviços

As obras para a Região de Saúde Leste demandaram um investimento de R$ 2,8 milhões. As unidades básicas de saúde (UBS) estão passando por adequações para abrir novos espaços de acolhimento, enquanto seguem em curso serviços de manutenção nas instalações elétricas e hidráulicas.

R$ 2,8 milhõesRecursos destinados às obras na Região de Saúde Leste

Na UBS 1 de São Sebastião, foram concluídos os serviços de pintura, manutenção nas instalações hidráulicas, elétricas e de esquadrias. Também foi realizada a impermeabilização do telhado da casa de parto, da policlínica e do laboratório.

As benfeitorias nas UBS 2, 5 e 8 do Paranoá, bem como as realizadas nas UBS 2 e 12 de São Sebastião, já foram concluídas. As unidades receberam manutenções nas partes elétricas, hidráulicas, de pintura, reposição de pisos, revisão de telhados, limpeza de calhas e substituição de vasos sanitários.

Outra novidade que resolveu um velho problema foi a colocação da estrutura para receber uma nova caixa d’água na UBS 5 de Nova Betânia, em São Sebastião. Já na UBS 1 do Itapoã, foi revitalizada toda a parte de esquadrias, telhado e pintura.

A UBS 3 do Paranoá, que atende à população do Paranoá Parque, teve a farmácia ampliada, recebendo adequações para a dispensação de psicotrópicos. Também foi feita a cobertura da recepção da unidade de saúde, melhorando o acolhimento dos usuários da unidade.

Assistência reforçada

O Hospital da Região Leste (HRL) também vem passando por adequações, muitas já concluídas ou em fase final. Alguns espaços estão sendo ampliados para receber mais leitos e melhorar a assistência à população.

O centro cirúrgico está abrindo mais uma sala de atendimento, passando de quatro para cinco. A Sala Vermelha também está sendo ampliada, passando de quatro para sete leitos. “Isso vai melhorar a assistência ao paciente que chega grave”, pontua a superintendente da Região de Saúde Leste, Raquel Bevilaqua. “Melhor estabilizado, ele tem maiores chances de sobrevivência e de alta”.

A unidade de traumatologia e ortopedia, por sua vez, vai ganhar uma sala para realização de pequenos procedimentos. “Com o contrato de manutenção, também foi possível fazer adequações nos espaços físicos do pronto-socorro”, explica Raquel. O centro cirúrgico, informa ela, também está sendo ampliado, o que garante mais celeridade às cirurgias eletivas.

Mudanças gerais

Há outras áreas do hospital que estão igualmente recebendo manutenção.  A entrada da emergência ganhará um balcão de acolhimento, promovendo maior agilidade no encaminhamento dos pacientes para a sala de classificação de risco.

Os banheiros da Ala de Custódia Hospitalar, que recebe detentos do Presídio da Papuda, passarão por revitalização. O Núcleo de Material Esterilizado do hospital também passou por adequações para receber novos equipamentos.

Além disso, a fachada do HRL está recebendo pintura nova, e todas as calhas estão sendo impermeabilizadas para evitar vazamento de água da chuva.

Com informações da Secretaria de Saúde (SES)