Novo bairro residencial deve abrigar 63 mil moradores

0
481

 

Plano de construção, elaborado pela Seduh e em parceria com o Exército e a Secretaria de Patrimônio da União, terá cerca de 21 mil imóveis.

 Por Ana Luiza Vinhote

 

 

O Governo do Distrito Federal (GDF) entregou, nesta quarta-feira (12), o projeto do novo bairro residencial ao Exército Brasileiro. O empreendimento de 4.226.976.34 metros quadrados, será construído na área chamada de Pátio Ferroviário de Brasília, nas proximidades da antiga Rodoferroviária e deve abrigar cerca de 63 mil moradores em 21 mil imóveis.

O plano foi elaborado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh), em parceria com os militares e com a Secretaria de Patrimônio da União (SPU).

Durante a cerimônia de entrega do documento, que ocorreu no Salão de Honra do comandante do Exército Leal Pujol, o governador Ibaneis Rocha destacou a rapidez na elaboração do plano. “Foi menos de um ano para preparar o projeto”, lembra. “A previsão é de que no próximo ano já ocorram as vendas de imóveis. Dessa forma, evitaremos invasões e haverá mais desenvolvimento econômico para a cidade”, ressaltou o chefe do Executivo local.

Comandante do Exército Brasileiro, Leal Pujol, também comemorou a finalização e entrega da proposta. “O bairro será uma forma de beneficiar toda a sociedade, fomentando a economia local”, comentou. “Foi um trabalho eficiente, competente e conjunto, em um curto espaço de tempo”, reforçou.

 

Projeto
A proposta obedece aos parâmetros previstos na Lei Complementar de Uso e Ocupação do Solo do DF (Luos) e o Plano Diretor de Ordenamento Territorial (Pdot). O documento estabelece diretrizes urbanística do novo bairro, como quais áreas e altura máxima que as construções poderão ter, assim como a delimitação do uso.

Segundo o plano, a ideia é valorizar os espaços públicos que devem ser amplos e arborizados, além do investimentos em mobilidade, como construção vias, calçadas e ciclovia. Haverá uma área destinada ao comércio e setores de saúde e educação.

Também será feita a integração com o sistema de transporte público, como ônibus, Veículos Leve sobre Trilhos (VLT) e trem para a conexão de outras áreas – DF-010, Eixo Monumental e os setores de Armazenagem e Abastecimento Norte (SAAN), de Indústria e Abastecimento (SIA) e Complementar de Indústria e Abastecimento (SCIA).

O chefe do departamento de Engenharia e Construção do Exército, general Cláudio Moura, agradeceu ao governador Ibaneis Rocha pelo apoio no projeto e a Seduh pela participação na proposta. “O objetivo é construir um bairro com conceitos inovadores de sustentabilidade e de cidades inteligentes. O urbanismo e a arquitetura serão referência para o país”, salienta.

Um dos desafios do plano está relacionado a atividade de operação de carga e descarga de minério, que ainda eram executadas no ramal ferroviária. “Esse tipo de operação é considerada poluidora, o que pode causar degradação ambiental. Seria incompatível com uma área residencial”, reforça o general Moura.

 

Próximos passos
A secretária Executiva da Seduh, Giselle Moll, explica que o plano é uma diretriz de como deverá ser o novo bairro residencial. “Agora, cabe ao Exército, que é proprietário do terreno, dar continuidade aos estudos”, informa. Ainda será feita uma reunião com a Companhia do Metropolitana do DF (Metrô) para fechar a proposta da área para o terminal e com a Secretaria de Transporte para definir o local necessário para linha de trem de passageiros.

Também haverá uma proposta ao Grupo Técnico Executivo a pedido do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), entre outros encontros, com demais órgãos, para finalizar o projeto.

 

Oficialização
Desde 2006, a área pertence ao Exército, que atua em constante patrulhamento patrimonial para manutenção e conservação das terras. Com a assinatura do novo Termo de Entrega e Recebimento (TER) em maio deste ano, os militares passam, formalmente, a cuidar e trabalhar pela destinação do espaço. Um planejamento estratégico também foi apresentado pelos militares à União, demonstrando a intenção de promover o desenvolvimento da área.

 

 

Veja a galeria de fotos:

 

Agência Brasília/ Foto: Renato Alves