Leonardo DiCaprio compartilha texto criticando Bolsonaro e desmatamento na Amazônia

0
46
Compartilhe

 

O ator Leonardo DiCaprio compartilhou, nesta sexta-feira (14/8), em seu Instagram, uma reportagem do jornal britânico The Guardian, a qual critica a gestão do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). No texto, que vem acompanhado de um vídeo com queimadas na Amazônia, o jornal cita dados publicados recentemente pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) sobre o aumento do desmatamento na floresta.

Em 2019, o presidente acusou, sem provas, o ator e ambientalista americano de financiar Organizações Não-Governamentais (ONGs) e “colaborar com queimadas na Amazônia”. Na época, DiCaprio se declarou à favor dos grupos que se comprometem em proteger o meio ambiente e, reagindo à citação de Bolsonaro, comentou: “Embora dignas de apoio, nós não financiamos as organizações citadas.”

Nesta sexta, o ator voltou a se posicionar contra as queimadas ao reproduzir, em seu Instagram, o texto a seguir:

View this post on Instagram

From The @Guardian: The number of fires burning in Brazil's Amazon in July was up 28% on the same month last year, according to data from Brazil's space research agency INPE. Early numbers for August also show a 7% increase. Brazil's president, Jair Bolsonaro, is under pressure internationally to curb the fires, but he has publicly doubted the severity of them in the past claiming opponents and indigenous communities were responsible. Last year's Amazon wildfires were devastating enough, but with the weather being drier this year so far, as well as the Coronavirus pandemic which has killed more than 99,000 Brazilians, there is growing concern that the ongoing deforestation isn't getting enough attention. . . . . . . #Brazil #Amazon #Rainforest #Wildfires #Deforestation

A post shared by Leonardo DiCaprio (@leonardodicaprio) on

O texto segue, de forma sutil, mas em tom crítico, comentando acerca da falta de preocupação do atual governo com o número de mortos pela pandemia:

“(…) assim como a pandemia do coronavírus, que matou mais de 99.000 brasileiros, há uma preocupação crescente de que o desmatamento em andamento não esteja recebendo atenção suficiente”.

De acordo com o Inpe, a Floresta Amazônica teve 6.803 focos de incêndio em 2020, contra 5.318 focos registrados em julho de 2019. É o pior número desde 2017.

Por: Correio Braziliense