Toffoli acata pedido de Flávio Bolsonaro e repercussão é negativa

1
86
Compartilhe

Com a decisão, paralisam-se investigações de lavagem de dinheiro abertas há 20 anos pelo Coaf e Banco Central, sem autorização judicial

A decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, de suspender os processos em que houve compartilhamento de dados de órgãos de controle sem prévia autorização judicial, gerou repercussão geral. O ministro atendeu a um pedido da defesa do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), investigado por movimentações financeiras suspeitas na época em que ele era deputado estadual.

Nesta terça-feira (16), procurador da República Hélio Telho disse temer as consequências da decisão de Toffoli. “E se mantiver essa decisão a consequência vai ser a anulação de todas as investigações que nos últimos 20 anos foram abertas, e todas as condenações, e pessoas que foram presas”, ressaltou.

A medida também repercutiu no Congresso Nacional.  Para o deputado Marcelo Calero (Cidadania-RJ), a medida impacta os processos de combate à corrupção. “É um duro golpe que o país mais uma vez sofre nessa tarefa árdua que nós temos de combater os mal-feitos. É realmente uma lástima que a gente viva de novo esse momento de um verdadeiro ataque ao combate à corrupção”.

Já o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), considerou a decisão do presidente do Supremo acertada.

“Eu acho que a decisão hoje tomada pelo presidente do STF coloca freios, ninguém pode sair e chafurdar a vida de quem quer que seja, de qualquer cidadão brasileiro, se não tiver autorização judicial para isso. Então é um freio para a busca da legalizada dos atos que são praticados em qualquer tipo de investigação. (JP)