Bolsonaro recebeu injeção de ânimo com pesquisa e tentará diálogo com Bivar

0
213
Compartilhe

 

O presidente Jair Bolsonaro, que ainda está sem partido, ganhou uma injeção de ânimo com o resultado das pesquisas. Não só ele, mas também lideranças aliadas estão otimistas  em aglutinar 350 deputados e 60 senadores até as eleições municipais.

Nada mais, nada menos que 70% de todo o Congresso Nacional. As eleições municipais são ingredientes importantes para haver uma convergência estimada acima. Mas o que falta e se trata de importante ingrediente? Bolsonaro já cogita tentar diálogo com o presidente do PSL, Luciano Bivar, com o qual teve atritos estruturais no partido.

O aumento de popularidade de Bolsonaro animou aliados e integrantes do centrão, que se dizem neobolsonaristas. Lideranças do governo calculam que conseguirão consolidar o apoio de 350 deputados e 60 senadores até as eleições municipais – número que equivale a 70% do Congresso. Seriam novas adesões interessadas no resultado das urnas neste ano em seus redutos eleitorais.

Mesmo sem participar de muitos palanques, como ja se manifestou o peso do nome de Bolsonaro na boca de candidatos poderá ser determinante em muncípios. A expectativa é de nova eleição polarizada entre os que apoiam e os que não apoiam o governo.

“Foi uma subida surpreendente de popularidade, o que demonstra a capacidade do presidente de se comunicar de forma mais direta, aprovar leis, inaugurar obras. Quando a pandemia passar, os partidos que apoiam o presidente terão desempenho melhor nas eleições”, afirmou o líder do governo no Congresso, senador Eduardo Gomes, em entrevista à CNN, nesta manhã.

Pesquisa Datafolha realizada em 11 e 12 de agosto mostrou que 37% acham o governo ótimo e bom. Em junho, eram 32%. No mesmo período, caíram de 44% para 34% os que o consideram ruim ou péssimo. A aprovação subiu 5 pontos, e a reprovação caiu 10.