Conselho Nacional do MP decidirá se afasta Dallagnol de comando da Lava Jato

0
252
Brazil's prosecutor Deltan Dallagnol speaks during a news conference in Curitiba, Brazil September 14, 2016. Picture taken September 14, 2016. REUTERS/Rodolfo Buhrer
Compartilhe

“Nunca ninguém disse que seria fácil enfrentar poderosos”, diz Dallagnol, e lembra Operação Mãos Limpas da Itália

Por Maurício Nogueira

Nesta terça-feira (12) o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) deverá discutir eventual afastamento do procurador da República Deltan Dallagno.

Na conta dele no Twitter neste sábado, 10, postou se sentir frustrado com as reações à força-tarefa da Lava Jato. No entanto, também escreveu ter esperança de que a sociedade brasileira evite retrocessos.

O procurador indicou que o sistema de corrupção no país foi dobrado, mas não quebrado, e afirmou: “Nunca ninguém disse que seria fácil enfrentar poderosos.”

“Existe um oportunismo de buscar identificar qualquer brecha para atacar a operação, distorcer fatos e atacar os personagens que acabaram tendo protagonismo na Lava Jato“, apontou o procurador em postagem no Twitter.

Deltan também comparou a reação à Lava Jato ao movimento que obstruiu a Operação Mãos Limpas – ação anticorrupção de grande proporção que a Itália viveu nos anos 1990 e acabou esvaziada por forças políticas. O intuito, lá da classe política foi desacreditar as autoridades do Ministério Público da Itália, que colaboraram para colocar atrás das grades políticos corruptos.

O julgamento ficará a cargo da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, que preside o CNMP. É ela quem coloca na pauta os processos para julgamento.