Coronavírus: produtores de chocolates esperam movimemto amargo

0
14
Compartilhe

 

 

As vendas de chocolates e ovos de páscoa, que antes tinha perspectiva de alta de 2,2% em São Paulo, agora tem expectativa de queda de 8,5% no estado, de acordo com uma pesquisa da Associação Paulista de Supermercado.

 

Os pequenos e médios produtores são os mais prejudicados e se viram como podem para minimizar o prejuízo.

Raquel, Rafael e Igor, trabalham na Chocoponto. Desesperados, eles fizeram um vídeo pedindo ajuda nas redes sociais.

“A gente nunca teve nada parecido com o que aconteceu agora. Fizemos um investimento muito grande, temos seis toneladas de chocolate prontos para entregar. A gente depende disso para salvar a nossa empresa.”

Com o alcance do vídeo, milhares de pessoas entraram em contato com a empresa e alguns produtos até esgotaram. Os três fizeram um novo vídeo de agradecimento.

“A gente só tem a agradecer, temos muitos amigos. Todo mundo que compartilhou e tentou contato, estamos agradecendo e vamos cuidar dos pedidos que já pegamos. E uma coisa muita importante é ajudar outras pessoas em situações parecidas com a no

Entregando bolos e doces há três anos, a Zazacake’s diminui o frete para não ficar totalmente no prejuízo. A sócia fundadora Carolina teve que reduzir os funcionários diante à pandemia.

“Assim como a maioria das empresas brasileiras, estamos sendo impactadas. A gente tem que correr atrás e se reinventar. Tivemos que reduzir praticamente em 100% o quatro dos funcionários, mas estamos nos virando. O impacto é de, pelo menos, 40% de queda na arrecadação.”

Em nota, a Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Amendoim e Balas (Abicab)da está avaliando a situação, mas considerando o cenário de constante mudança, ainda não é possível mensurar o impacto.