Fiocruz: flexibilização de isolamento ocorre em época de doenças respiratórias

0
14
Compartilhe

 

 

Os anúncios de flexibilização das medidas de isolamento contra a Covid-19, feitos em vários estados, estão ocorrendo na época em que há maior circulação de vírus respiratórios no país, segundo séries históricas do InfoGripe, sistema de monitoramento da Fiocruz. Brasil está entre os países que não chegaram ao pico da Covid, diz OMS.

Avaliando os dados dos últimos anos considerados “regulares” (período de 2010 a 2015 e o ano de 2017), a incidência de síndrome respiratória aguda grave (SRAG), que está associada à circulação dos vírus respiratórios, costuma ser maior exatamente nesta época na maior parte do país.

A incidência representa o número de casos de uma doença para cada 100 mil habitantes de uma determinada região.

Para entender padrões de circulação de vírus respiratórios, o país é classificado em quatro “regionais”: norte, sul, central e leste. Os períodos de maior ou menor circulação coincidem com características climáticas, explica Marcelo Gomes, coordenador do InfoGripe.

Mapa mostra as regiões do Brasil de acordo com os padrões de circulação de vírus respiratórios, segundo a Fiocruz. — Foto: Nikolas Espíndola/G1

Mapa mostra as regiões do Brasil de acordo com os padrões de circulação de vírus respiratórios, segundo a Fiocruz. — Foto: Nikolas Espíndola/G1

“Os padrões são distintos. A gente não tem um território homogêneo em termos de vírus respiratórios porque o clima não é homogêneo. Esse é o principal fator”, explica Gomes.

“Como tem um país continental, tem perfis climáticos diferentes. Se a gente olha o mapa climático do Brasil, consegue fazer uma divisão territorial que é similar ao que vê com base no perfil de circulação de síndromes respiratórias agudas graves”, esclarece.