Gabinete institucional da Saúde em Ceilândia com secretário começa a funcionar

0
224
Compartilhe

 

O aumento no número de casos de Covid-19 registrados em Ceilândia determinou criação de gabinete institucional que terá a presença do secretário de Saúde do Distrito Federal, Francisco Araújo, nesta quinta-feira (4) na cidade.

 

Ele trabalhará  até no  mínimo, sexta-feira (5). A decisão foi do governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha. O lockdown é uma medida muito drástica, que somente ocorrerá como última alternativa.

Um retrocesso na abertura do comércio pode ser alternativa antes do lockdown e não se descartado pelo Palácio do Buriti. Essa medita pode ser adotada em Ceilândia, Sol Nascente, Samambaia e Estrutural.

Vale lembrar que nas últimas sessões da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) houve grande apreensão com esta região administrativa do DF. Um dos principais foi Chico Vigilante (PT), que dedicou ontem um tempo para falar sobre a situação da cidade.

Vigilante pediu ao governador que avaliasse a possibilidade de implantação do lockdown e disse que depois da passagem do presidente Jair Bolsonaro por Ceilândia – num domingo em que ele circulou sem máscara, cumprimentou pessoas e provocou aglomerações – a população da cidade satélite passou a mudar de comportamento e a descumprir as regras de isolamento social estabelecidas desde o início de março.

“Ceilândia está abandonada e a população não tem respeitado as orientações de manter o isolamento social”, disse ele. Assim que soube da notícia do possível lockdown, o deputado distrital elogiou a atitude de Ibaneis.

“Estou satisfeito e considero, como oposição ao governo, uma medida correta adotada pelo governador. Acho que a população inteira da Ceilândia vai entender e apoiar o lockdown, que certamente salvará salvar milhares de vidas”, afirmou.

Vigilante lembrou que há exatos sete dias ele já falava sobre o assunto ao lado da deputada Arlete Sampaio (PT), outra que tem demonstrado bastante apreensão com o crescimento da covid-19 nas regiões administrativas do Distrito Federal em suas declarações e participações no Legislativo.

Na ocasião, a distrital – ex-vice-governadora do DF – considerou precipitada a iniciativa do Governo do Distrito Federal (GDF) de reabertura do comércio e citou a situação em várias cidades satélites.

Ela foi seguida por Vigilante que alertou, na ocasião, que “a conta a ser paga pelo que pode vir a ser observado dentro de alguns meses no Distrito Federal pode ser muito grande”.

Imprudência 

Além de Chico Vigilante e Arlete Sampaio, outros parlamentares defenderam o lockdown para a Ceilândia ao longo do dia.

O presidente da CLDF, deputado Rafael Prudente (MDB), relatou que viu de perto a situação da região administrativa o último fim de semana e a impressão que teve foi de que “não há ninguém preocupado com o coronavírus”.

A possibilidade de um hospital de camapanha ser construido é uma das alternativas. Vigilante manifestou que irá conversar com o governador Ibaneis Rocha para tratar desse assunto.