Greve de petroleiros é ilegal e abusiva, segundo Tribunal Superior o Trabalho

2
107
Compartilhe

 

O Tribunal Superior do Trabalho (TST) considerou, em sentença dada nesta segunda-feira pelo juiz Ives Gandra Martins Filho, a greve dos petroleiros ‘ilegal e abusiva’.

Segundo ministro, a categoria deve voltar ao trabalho imediatamente. No texto, o magistrado disse “reconhecer a abusividade e a ilegalidade” do movimento grevista, que começou há pouco mais de duas semanas.

Ele afirmou também que os sindicatos e federações ligados aos petroleiros não estão cumprindo ordens e determinações, principalmente, no que diz respeito ao contingente permanente de funcionários. A Petrobras já iniciou um processo de contratação de funcionários, e mudou a escala dos que ficam embarcados e não aderiram à greve. Antes, eram 14 dias de trabalho e 21 de folga. Agora, a cada 14 dias trabalhados, serão 14 de folga.

Na sentença, o ministro alerta também para os riscos que essa greve pode causar no abastecimento de combustíveis no país. A Federação Única dos Petroleiros (FUP), que é quem lidera o movimento, informou que ainda não foi notificada do posicionamento do Tribunal.

Saiba mais:

O impasse da greve dos petroleiros em meio à retomada de crescimento econômico