Infectologista diz que 1 milhão de casos confirmados significa metade da pandemia no Brasil

0
254
Compartilhe

 

 

O Brasil registrou, na sexta-feira (19), a marca de 1 milhão de casos confirmados do novo coronavírus. Para Hélio Bacha, infectologista e consultor da Sociedade Brasileira de Infectologia, o número representa que o país “está no meio da pandemia”. Em entrevista à Jovem Pan neste sábado, ele analisou: “O número de 1 milhão significa que devemos ter em torno de 10 milhões de pessoas portadoras ou que se infectaram com o vírus. Os mortos chegam a quase 50 mil o que é muito significativo, uma perda de vidas que nos constrange e que não dá para comemorar.”

 

O médico explicou que o arrefecimento da ascensão da curva de contágio da covid-19 “não significa descenso da curva”. “Ela apenas está crescendo com menos velocidade, não chegou no platô. Ainda é um momento preocupante para a população brasileira.”

B acha não acredita que este seria o melhor momento para os estados e municípios começarem a flexibilizar as medidas de isolamento social. “Essa decisão não é de pessoas da saúde. Vão ao arrepio da condição epidêmica do Brasil.”

De acordo com ele, a volta da circulação de pessoas é “como se estivéssemos festejando aniversário antes da data. Isso vai ser um ioiô, vamos para as ruas e veremos um impacto daqui 10 dias no número de mortos”. O infectologista destacou que, para afrouxamento, o ideal era que houvesse duas semanas de queda contínua de casos e óbitos – algo que ainda não aconteceu.