PF faz buscas em endereços de ex-governador Pimentel em Minas

0
216
Compartilhe

Investigação apura suspeita de crime eleitoral em que a empresas de consultoria teriam sido usadas para o recebimento de vantagens de mais R$ 3 milhões. A operação é um desdobramento da Acrônimo, deflagrada pela Polícia Federal em 2015. Segundo a PF, com informações obtidas pela delação premiada de Benedito Rodrigues Neto, as provas apontam interferência de Pimentel em negócios da empresa OAS no Uruguai.

 

Redação/Foto: Reprodução/Wikimedia Commons