Rio de Janeiro se prepara para chegada do óleo cru

0
161
Compartilhe

 

Após a mancha ter atingido praias do Espírito Santo — o décimo estado a ser poluído –, na semana passada, o sinal de alerta foi acionado pelo governo do Rio.

Os fragmentos da mancha de óleo que, há mais de dois meses, vem atingindo praias do Nordeste brasileiro preocupa o governo do Estado do Rio de Janeiro. Na quinta-feira (7), o óleo cru chegou ao litoral do Espírito Santo (foto).

Por isso, um plano de emergência de contingência foi elaborado pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro e há interações com municípios litorâneos da região. Esse plano é divido em três fases: vigilância, monitoramento e resposta.

A fase da vigilância é um trabalho rotineiro, de análise de areias e qualidades das águas do litoral fluminense. Já a fase de monitoramento prevê a utilização de patrulhamento náutico e aéreo para analisar a possibilidade de aproximação das manchas e fragmentos de óleo.

Já a terceira e última etapa é a de resposta. Caso o óleo chegue efetivamente às costas, medidas já foram tratadas para evitar a difusão do material.

O Governo do Rio de Janeiro também criou um comitê de monitoramento para atuar em parceira com cidades costeiras que eventualmente possam ser atingidas.

Os locais ainda não foram interditados para banhistas.

Óleo no Espírito Santo

Em três parias do Espirito Santo, localizadas na cidade de São Mateus, no Norte do Estado, o Ibama confirmou que o óleo encontrado é o mesmo que atingiu o litoral do Nordeste. Militares da Marinha e do Exército atuam na limpeza das praias.

São Mateus

São Mateus, a menos de 100 quilômetros da divisa com a Bahia, foi o primeiro município capixaba a registrar o aparecimento do óleo. A substância foi recolhida nas praias de Guriri, Barra Nova e Urussuquara.

O rio Cricaré, que abastece também o município vizinho de Conceição da Barra, é uma preocupação da prefeitura. Se o rio for atingido, mais de 100 mil pessoas podem ficar sem água. “Como é que vai fazer? Não se tira o óleo da água, então é preocupante”, disse o prefeito Daniel Santana.

Além disso, a prefeitura fechou a Foz de rios menores, por precaução.

Linhares

Na praia do Pontal do Ipiranga, em Linhares, o óleo apareceu pela primeira vez na manhã de domingo (10). O local foi limpo, mas o material voltou a aparecer nesta segunda-feira (11).

O recolhimento do óleo foi interrompido por conta do avanço do mar. A prefeitura informou que os trabalhos serão retomados nesta terça-feira (12).

De acordo com a prefeitura, o Sistema de Comando em Operações (SCO) de Linhares vai realizar o fechamento da foz do Rio Doce, em Regência. A medida evitará que o material atinja e contamine o estuário local – onde o rio encontra o mar.

Conceição da Barra

No final da tarde deste domingo (10), foram coletados pequenos fragmentos de óleo na Praia do Surf, Sede de Conceição da Barra. A Marinha do Brasil foi notificada através do Gabinete de Gestão de Crise, recolheu os resíduos e os encaminhou para análise. Ao todo foram coletados aproximadamente 600 gramas da substância.

As praias tiveram que ficar temporariamente interditadas, sendo liberadas em seguida. “A interdição foi apenas pelo período necessário para realizar limpeza, evitando-se assim aglomeração de curiosos sem equipamentos de proteção individual”, esclareceu o Secretário Municipal de Meio ambiente, André Tebaldi.

De acordo com o Ibama, também há registros da chegada do óleo em Itaúnas e na Foz lado norte do Rio São Mateus. O material ainda vai passar por análise.

Início no Nordeste

As manchas de petróleo em praias do Nordeste começaram a aparecer no dia 30 de agosto, na Paraíba. A substância é a mesma em todos os locais: petróleo cru. O fenômeno tem afetado a vida de animais marinhos e causado impactos nas cidades litorâneas.

O Espírito Santo é o 10º estado brasileiro a ser atingido pelo óleo. Já foram afetados: Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe.

 

Foto: Divulgação/Marinha