Vacina: Ratinho Jr. corre para fazer parceria com Rússia

0
117
Nesta ilustração, um médico segura uma seringa e um frasco rotulado como a vacina da Covid-19 Vincent Kalut/Getty Images Leia mais em: https://veja.abril.com.br/saude/covid-19-anvisa-libera-testes-de-vacina-chinesa-em-quatro-estados-e-no-df/
Compartilhe

 

O governo do Paraná deve assinar hoje com o Ministério da Saúde da Rússia convênio para produção e distribuição da vacina contra a Covid-19 anunciada mais cedo pelo presidente Vladimir Putin.

A Organização Mundial de Saúde ainda diz que mais testes precisam ser feitos para comprovar a eficácia. Mas o governador Ratinho Júnior marcou para 14h a assinatura do convênio com o embaixador russo no Brasil, Sergey Akopov.

A distribuição, no entanto, não deve começar antes do segundo semestre de 2021, se tudo der certo.

Antes, a Anvisa precisa autorizar o uso da vacina, após testes no Brasil. A produção no país ficará a cargo do Instituto de Tecnologia do Paraná.

As autoridades russas dizem que o Brasil vai participar da fase 3, com estudos clínicos.
A OMS reconhece que  a vacina russa ainda estaria na primeira fase do processo segundo protocolos. E deveria transpor mais duas fases para ser liberada à aplicação  em massa. Putin informou que sua filha já tomou a vacina. Teve uma febre e passageira e está bem.