Vendas do varejo caem 0,6% em abril, segundo IBGE

0
287
Compartilhe

As vendas do comércio varejista caíram 0,6% em abril, na comparação com o mês anterior, no pior resultado para meses de abril desde 2015 (-1%), segundo dados divulgados nesta quarta-feira (12) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A queda acontece após uma alta de 0,1% em março e queda de 0,1% em fevereiro, na comparação com o mês imediatamente anterior, reforçando a leitura de perda de ritmo do setor e de estagnação da economia brasileira em 2019.

Na comparação com abril de 2018, entretanto, houve alta de 1,7%. Dessa forma, o setor acumulou avanço de 0,6% no ano e de 1,4% nos últimos 12 meses.

O resultado veio pior do que o esperado pelo mercado. A mediana das estimativas de 27 analistas de consultorias e instituições financeiras ouvidos pelo Valor Data era de queda de 0,2% do indicador frente a março, quando houve ligeira alta de 0,1% (dado revisado).

Revisão – O IBGE revisou os resultados dos últimos meses. Em março, ao invés de uma alta de 0,3% como inicialmente divulgado, as vendas do setor avançaram apenas 0,1%. Em fevereiro, houve queda de -0,1% ante leitura anterior de estabilidade. Já em janeiro, a alta foi maior que a inicialmente divulgada, de 0,6%, e não de 0,5%.

A gerente da pesquisa, Isabella Nunes, destacou que a queda em abril ocorre após dois meses consecutivos de relativa estabilidade. “Só essa observação já nos mostra uma perda de ritmo no ano de 2019”, disse.

 Cada segmento em abril:

  • Combustíveis e lubrificantes: 0,3%
  • Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo: -1,8%
  • Tecidos, vestuário e calçados: -5,5%
  • Móveis e eletrodomésticos: 1,7%
  • Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria: -0,7%
  • Livros, jornais, revistas e papelaria: 4,3%
  • Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação: -8%
  • Outros artigos de uso pessoal e doméstico: -0,4%
  • Veículos, motos, partes e peças: 0,2%
  • Material de construção: 1,4%

Fonte: IBGE