Coronavírus: Jogadores de futebol recusam segunda proposta de clubes

0
102
Compartilhe

 

Jogadores entram em férias de 20 dias a partir de 1º de abril e seguirão negociando individualmente as situações salariais direto com as diretorias dos clubes.

O representante da Comissão Nacional dos Clubes (CNC), presidente do Fluminense, Mario Bittencourt,  divulgou vídeo neste sábado (28), lamentando a falta de acordo entre clubes e jogadores sobre como proceder em meio à pandemia do novo coronavírus.

Por conta das partidas suspensas devido ao novo coronavírus, a CNC já enviou duas propostas para a Federação Nacional dos Atletas Profissionais de Futebol (Fenapaf) as quais foram rejeitadas pelos atletas e pelos 21 sindicatos.

De acordo com o dirigente, a segunda proposição surgiu da reunião de cerca de 30 presidentes de clubes e a CBF, acerca de concessão de férias coletivas de 20 dias a todos os jogadores e a redução de 25% dos salários, enquanto os campeonatos estiverem suspensos.

Negociações individuais

“Nós optamos de forma unânime, por colocar todos os atletas e os departamentos de futebol em férias coletivas a partir do dia 1° de abril, garantindo a eles o que prevê a Medida Provisória 927 do Governo Federal e deixar que as negociações sigam individualmente, entre cada clube com seus atletas e com os sindicatos locais.”, disse Bittencourt.

A MP citada pelo porta-voz dos clubes, dispõe sobre as medidas trabalhistas que poderão ser adotadas pelos empregadores para preservar emprego e renda ao trabalhador, durante o estado de calamidade pública.

Negociações

O representante da CNC diz também que as diretorias seguem negociando com os jogadores e citou que o presidente do Fortaleza, Marcelo Paz, lhe telefonou e informou que o clube nordestino já negocia com os atletas individualmente.

“Até mesmo em razão do Brasil ser um país de dimensão continental, a gente acabou não conseguindo êxito em fazer um acordo com todos os jogadores, um acordo equânime. Entretanto, conseguimos algo que eu considero uma vitória dos clubes, que foi a união.”

Em relação ao calendário do futebol brasileiro, há o entendimento entre os clubes das séries A, B, C e D na preservação dos estaduais e na manutenção do formato de pontos corridos do Campeonato Brasileiro.

De acordo com Bittencourt a definição até agora não impede que novas as conversas ocorram entre as partes.

“Foram mais 30 presidentes na última reunião. Os clubes marcaram novas conversas nesses 20 dias de férias para tentar uma outra posição. Quem sabe até esperar uma medida do próprio governo com relação a esse período de crise. Não só na saúde, mas também econômica”, estimou Bittencourt.