E as gírias das redes sociais “lacraram”

0
827
Compartilhe
“Lacrou” (arrasou), “biscoiteiro”, “crush”. Quem nunca se deparou com ao menos uma dessas palavras não passa muito tempo nas redes sociais.
Do dia para a noite, palavras e frases começaram a definir sentimentos e acontecimentos, e o sucesso dessa ‘tour’ foi parar no vocabulário de muita gente. O dialeto já não se restringe só à web. O contato constante com palavras do ambiente online acaba rompendo a barreira entre virtual e mundo real.
Quando menos se espera, começamos a repetir, em conversas do dia a dia, o que aprendemos na internet. A partir daí, juntamos palavras já conhecidas do nosso idioma às novas expressões.
Essa análise sobre a metamorfose nas expressões é estudada por Patricia Wechsler, mestre em linguística pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj). Ela explica que as mudanças na forma de se comunicar ocorrem naturalmente.
Esses fenômenos fazem parte da construção da língua: “O ser humano tem a necessidade de nomear coisas para poder se expressar no cotidiano. A linguagem está em constante mutação, e o tempo todo surge a necessidade de criar palavras novas para dar conta de fenômenos mais recentes” analisa.
Segundo ela, a tecnologia ajuda a difundir essas mudanças: “A língua não é estática, e, na atual sociedade da informação, a difusão do conhecimento passa a ser cada vez mais rápida. Nada mais natural que os usuários da língua criem novos termos para abarcar o que não existia anteriormente”, destaca.
Parte do protagonismo na popularização dessas gírias vem de grupos no Facebook. Um dos queridinhos de quem usa a rede social surgiu em 2013 e foi batizado de ‘Lana Del Rey Vevo’ ou ‘LDRV’.
A princípio era só mais uma página de humor. Hoje, você pode até não conhecer o perfil, mas foi lá que expressões muito usadas na web começaram a ganhar espaço. Você já deve ter escutado, por exemplo, alguém chamando uma pessoa não muito querida de ‘embuste’.
No dicionário, o termo é sinônimo de pessoa mentirosa, mas depois que ficou popular entre os membros do ‘LDRV’, o termo foi difundido de tal maneira que pessoas usavam camisas com a palavra.
Mutação constante

O fundador do grupo ‘LDRV’, Kaerre Neto, de 24 anos, explica que já são mais de dois milhões de pessoas participando dessa grande comunidade.

Ele conta que o que se nota de mais interessante são as mutações das gírias: “’Tour’ era sinônimo de fracasso, quando poucas pessoas curtiam ou comentavam uma história, em alusão às tours canceladas de uma cantora.

Mas hoje virou sinônimo de sucesso, de tanto que se tornou popular”, conta Kaerre, lembrando que muitos membros do ‘Lana’ eram do Norte e Nordeste, e que isso ajudou a difundir algumas palavras regionais, como o “Mana”, muito usada em Manaus.

Glossário das expressões

Anotado, more: Quando você não se importa muito com a opinião de outra pessoa sobre você.

Auge: Quando acontece algo inacreditável, um estouro de sucesso ou até pode ser usado na contramão, e ser o auge do fracasso, quando a situação é muito ruim.

Berro/Grito: Rir muito alto.

Biscoiteiro: Alguém que faz de tudo para ter atenção o tempo inteiro, para ter curtidas.

Chamar no probleminha: Conversar no privado.

Cristal: Uma pessoa querida.

Crush: Alguém que desperta interesse.

Date: Literalmente traduzido do inglês, seria encontro, seja com namorado, um crush, um amigo.

Divou: Estar muito produzida, sair bem em uma foto, assim como uma diva.

Fada sensata: Alguém que toma atitudes e faz observações equilibradas.

Falsiane/Sonsiane: Alguém que é exatamente o que a palavra diz: falsa/sonsa.

Fandom: Fã-clube.

Fanfic: História inventada.

Fazer a egípcia: Ignorar algo.

Fazer a fina: Lidar com uma situação ruim com muita classe.

Floodar: Insistir muito no mesmo assunto em alguma rede social.

Flopar: Algo que não faz sucesso, uma foto com poucas curtidas no Instagram.

Gado: Alguém fácil de enganar, que cai em qualquer história.

Hater: Aquele ou aquela que odeia ferrenhamente um famoso, uma série, um filme, um personagem.

Hino: Uma música lendária.

Hitar: Fazer sucesso. Vem de hit, assim como quando uma música é lançada.

Ícone: Se sair tão bem em uma situação/debate ou ser tão querido a ponto de ser comparado a um ídolo do momento.

Lacrou/Sambou: Ganhar uma discussão com bons argumentos a ponto de não haver possibilidade de resposta.

Mana: Jeito carinhoso de tratar as amigas.

Marcar o @; você quer @?: Indireta para atingir o crush.

O brado retumbante que eu dei: Rir muito de algo.

Pistola: Ficar com raiva de uma situação.

Ranço: Implicância e muita raiva de alguém

Sapão: Um homem muito bonito.

Shade: Indireta.

Shippar: Apoiar um casal.

Stalkear: Investigar sobre a vida de alguém nas redes sociais.

Tá na Disney: Usado para dizer que a pessoa não tem muita noção do que está
acontecendo e acha que está tudo bem sempre.

Tour: Uma história ou situação relatada que precisou ser acompanhada. Também com desfecho, no que se deu aquela tour, qual rumo as coisas contadas tomaram.

Um nojo: Quando alguém fica muito orgulhoso sobre algo, como por exemplo um carro novo.

Redação