Governador do Maranhão acusa Bolsonaro de racismo e ameaça

0
56
Compartilhe

Bolsonaro criticou Dino e se referiu ao nordeste como ‘Paraíba’, termo pejorativo para se referir à nordestinos que não estão na região, principalmente no Rio

 

O presidente da República, Jair Bolsonaro, durante café da manhã com jornalistas correspondentes na manhã desta sexta-feira (19), criticou o governador do Maranhão, Flávio Dino, e se referiu à região Nordeste como “Paraíba”, termo considerado pejorativo para se referir à nordestinos que não estão na Região, principalmente no Rio de Janeiro, estado do presidente.

Em entrevista à Época, Flávio Dino afirma que, caso Bolsonaro não se explique, serão tomadas providência junto à Procuradoria Geral da República (PGR) para apurar a atitude do presidente. “É uma declaração criminosa. Configura um crime, previsto na lei que trata de racismo. Ele não pode falar assim. O presidente da República, ao dizer algo desse tipo, está praticando e incentivando que outros pratiquem o crime de racismo”, afirmou.

De acordo com Dino, a declaração de Bolsonaro se enquadra, também, como ameaça, já que ele deu uma ordem a um subordinado (Onyx Lorenzoni), não dê recursos ao governador. “Realmente é uma coisa grave. É inédito. Mesmo na ditadura, o (presidente João Figueiredo) mantinha uma relação com vários governadores da oposição, como Franco Motoro, Leonel Brizola”, explica.

Além disso, o governador do Maranhão afirmou que o presidente tomou poucas iniciativas com relação à região nordeste do país e diz que não aceitarão desrespeito por parte do presidente. “Temos opiniões diferentes, mas exigimos respeito. Não vamos aceitar desrespeito, agressividade, beligerância com o Nordeste. Estamos esperando uma retratação”, finalizou Dino. JBr